www.martimcesar.com.br

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Amar é um deserto e seus temores... Djavan



Sombras de Morfeu


Se de repente o sol caísse
Feito um copo, estilhaçado aos teus pés
E a lua para sempre resumisse
Em sua luz, a força oculta das marés

Noturnos homens caminhando
Como sombras pelo chão dos hemisférios
A Via Láctea no sem fim se navegando
Rio alado rumo a um porto de mistérios

Ainda assim te encontraria
Feito um lobo farejando a sua presa
Pois teu cheiro de mulher te denuncia
E o teu olhar é uma chama sempre acesa

Se de repente a vida fosse
Não mais o infindo renascer dos dias
E sim a noite sucedendo a noite
Escuras praias sob o som das maresias

Cegos vultos na escuridão
Buscando a vida já ausente das retinas
Em um sombrio tempo de ilusão
Silhuetas negras que o luar não ilumina

Ainda assim te encontraria
Feito um lobo farejando a sua presa
Teu amor tem essa luz de poesia
De rio de estrelas rebentando mil represas

Martim César









Um comentário:


  1. Oi sou uma blogueira que amo o que faz e venho navegando de blog em blog convidando os blogueiros sérios assim como vc a participar da nona pena de ouro que a Lindalva esta realizando. E gostaria muito de poder contar com a sua presença. Esse é o link:http://ostra-da-poesia-as-perolas.blogspot.com.br/
    Precisamos apenas que vc dê o seu voto na poesia que melhor lhe tocou o seu coração.
    Mas não esqueça de deixar o link de seu blog para que seu voto seja validado.

    Abraços

    ResponderExcluir